@valeriabursztein

Empresa cria score para ajudar famílias na hora de escolher um residencial sênior

Com apenas quatro anos de mercado, a Trevoo já auxiliou mais de 10 mil famílias a encontrar a casa ideal para os longevos

A cada ano que passa o envelhecimento da população brasileira ganha novos sentidos e oportunidades, deixando para trás a velha imagem de dependência e solidão. Um dos mercados que mais sofreu transformações nas últimas décadas foi o longevo, principalmente no segmento de assistência e moradia especializada. Aos poucos, as Instituições de Longa Permanência para Idosos (ILPI) vão se adequando para atender os novos 60+, que prezam por protagonismo, liberdade e qualidade dos serviços. Os antigos asilos ficaram no passado, assim como a palavra. Hoje, os longevos e suas famílias buscam espaços democráticos e inclusivos para que esse público continue a se desenvolver de forma saudável. 

“É uma vitória muito grande termos evoluído nas instituições de longa permanência. Antigamente, falar em casa de repouso era sinônimo de depósito e abandono. Hoje o familiar encontra um espaço adequado para as necessidades específicas do longevo de forma segura e online”, cita Eliz Taddei, 56+, CEO e fundadora da Trevoo, uma plataforma exclusiva para busca de residenciais sênior. Segundo ela, a criação da empresa teve como inspiração os mercados longevos dos Estados Unidos e Europa, que há anos trabalham o desenvolvimento desse segmento. “Eu sentia que as famílias precisavam saber mais sobre essas instituições, ter certeza do que elas podem oferecer. Com muitas pesquisas criamos a Trevoo, que congrega hoje mais de 100 residenciais em São Paulo”.

Com uma ampla carreira no mercado financeiro, Eliz desenhou e criou um score para validar as instituições cadastradas, estruturado em sete pilares: Institucional, Regulatório, Infraestrutura, Assistência Clínica, Qualidade de Vida, Segurança e Gestão da Qualidade. Essa métrica resulta em uma pontuação final, que aprova ou reprova as casas para a plataforma, além de permitir ao familiar e/ou longevo escolher por alternativas seguras e qualificadas.

De acordo com a CEO, os critérios para a inclusão de novas instituições na plataforma são minuciosos. No âmbito institucional, por exemplo, a Trevoo avalia o tempo de mercado e a experiência da empresa na área da saúde. No aspecto regulatório são checadas todas as licenças e autorizações de funcionamento da instituição. Na infraestrutura itens de segurança são priorizados, tais, como barras de apoio que estimulem o residente a andar pelos espaços internos e externos e a disposição e o acesso à área externa.

“Dos 81 critérios para avaliar a infraestrutura, gosto de destacar 2 deles: um é a oferta de barras para apoio e estímulo de caminhada do residente, outro é a obrigatoriedade de uma área adequada para banho de sol. Não permitimos que casas sem área externa integrem nossa plataforma, pois é indispensável para o longevo o contato com o sol e o ar livre”, enfatiza Eliz.

No pilar Qualidade de Vida, a plataforma leva em conta ainda outras questões, como a oferta de atividades lúdicas como artes, jogos, musicoterapia, passeios guiados, estímulo cognitivo e social. Em termos de segurança, a empresária explica que em breve disponibilizará, em formato de consultoria, a revisão dos processos que representam os principais riscos para os longevos em qualquer ambiente e não apenas em ILPI, que são: queda, envenenamento ou intoxicação por dispensação errada de medicamentos, engasgo e troca de dieta. Já no pilar de Gestão da Qualidade, Eliz destaca a consultoria em Educação Continuada. 

Mudança de perfil

Todos já sabemos que o perfil do longevo vem acompanhando o desenvolvimento social dos novos tempos, mas será que é comum uma pessoa 60+ buscar por conta própria uma instituição de longa permanência para viver? De acordo com Eliz, a resposta é sim. Ela ressalta que a maior parte das buscas é realizada por filhos e netos com familiares longevos mais comprometidos, de graus 2 ou 3, que demandam cuidados de uma equipe multidisciplinar, além de estrutura física e emocional para tratamento, porém, já é perceptível a transição no perfil de quem busca por esses serviços.

“É muito nítido para mim a transformação que vem ocorrendo no mundo longevo. Hoje temos pessoas lúcidas e bem de saúde na casa dos 60 a 90 anos que buscam conhecer instituições por conta própria, para viverem de uma forma mais independente. Por isso, temos o cuidado de selecionar as casas de acordo com cada perfil, logo, uma pessoa ativa precisa ir para um residencial que tenha jogos, cinema, passeios, bailes e até clube do vinho”. 

Ao longo de quatros anos, a Trevoo já auxiliou mais de 10 mil famílias na busca pelo lar ideal. Ao acessar o site, a pessoa é direcionada para um cadastro e posteriormente é atendida pela equipe da empresa, que é formada integralmente por gerontólogos. A marca atua na capital de São Paulo e na região do ABC, mas está em processo de expansão para a região metropolitana e interior.

“Nos sentimos lisonjeados por contribuir para essa transformação social,  colaborando para que o longevo tenha mais qualidade de vida, viva com dignidade e seja o protagonista de sua vida. Temos planos futuros de expandirmos os serviços à nível Brasil, no intuito de atendermos mais famílias”, destaca a CEO. 

Quem visitar a Longevidade Expo+Fórum 2022 poderá conhecer mais sobre a Trevoo. A empresa estará pela segunda vez no evento com seu time de atendimento apresentando as melhores opções de residenciais em São Paulo. A companhia leva também o selo de qualidade Trevoo, que atesta as instituições de acordo com os pilares pré-estabelecidos. Outra novidade é o Clube de Vantagens, uma parceria da Trevoo com marcas nacionais e multinacionais para o oferecimento de descontos exclusivos para residenciais sênior e para todos os longevos residentes ou não de casas de repouso.