@valeriabursztein

Uma boa proposta para você ! Que tal reduzir em 33% o risco de ter Alzheimer?

Redação e edição

Analu Oliveira – 79+

www.longevidade.com.br

 

Exercitar-se reduz em 33% o risco de contrair doenças degenerativas

Pois é, eu sei que você já cansou de ouvir o discurso de que é preciso fazer exercício, sair do sedentarismo, acertei ? E a preguiça? E aquela frase conhecida: “Segunda-feira sem falta eu começo”. Mas vale a pena um pouco de esforço e novas boas notícias chegaram recentemente. Veja só !

Um estudo que será apresentado à Academia Americana de Neurologia na reunião anual, que acontece agora em abril, demonstrou que quanto mais em forma você estiver, menor a probabilidade de desenvolver a doença de Alzheimer. O risco é 33% menor para essa demência  neurodegenerativa.

Pesquisadores do Centro Médico para Veteranos de Washington e da Universidade George Washington testaram e acompanharam 649.605 veteranos (idade média de 61 anos) por quase uma década.

Com base na aptidão cardiorrespiratória, os participantes foram divididos em cinco categorias – do menor ao maior nível de condicionamento físico.

Todos fizeram um teste em esteira ergométrica para medir quão bem seu corpo transporta oxigênio para os músculos e quão bem os músculos absorvem o oxigênio durante o exercício. Isso permitiu fazer a divisão.

Os pesquisadores descobriram que, à medida que o condicionamento físico melhora, as chances da pessoa desenvolver a doença diminui. Comparado com o grupo de menos saudáveis, aqueles ligeiramente mais aptos tiveram um risco 13% menor de Alzheimer; o grupo do meio teve 20% menos chance de desenvolver a demência; o quarto grupo foi 26% menos suscetível; com as chances atingindo um risco 33% menor para aqueles mais em forma.

 

Alzheimer é o tipo mais comum de demência. É um distúrbio cerebral progressivo que, com o tempo, destrói a memória e as habilidades de pensamento, e interfere na capacidade de realizar tarefas diárias. Cerca de 6 milhões de americanos com 65 anos ou mais têm Alzheimer e as pesquisas em busca de uma cura seguem aceleradas.

Os pesquisadores chegaram à conclusão que é incrível como o aumento da atividade física reduz o risco de desenvolver a doença e beneficiar o cérebro de forma comprovada. A própria Associação de Alzheimer garante que é essencial sair do sedentarismo para reduzir as chances de ter a demência.

“A ideia de que você pode reduzir o risco de doença de Alzheimer simplesmente com aumento do nível de condicionamento físico é muito promissora, especialmente porque ainda não há tratamentos adequados para prevenir ou interromper a progressão da doença”, afirma Edward Zamrini, principal autor do estudo.

Co-autor do trabalho, o chefe de equipe do Centro Médico para Veteranos de Washington Charles Faselis aponta que as descobertas da pesquisa vão ajudar os médicos a “prescrever programas de exercícios seguros para diminuir o risco de doença de Alzheimer e demências relacionadas”.

 

Quer boas dicas para começar já?

 

Caminhadas diárias

30 minutos de caminhada 5 vezes por semana são de grande valia

 

Caminhadas previnem ataques e controlam a pressão arterial, além de reduzir os níveis de colesterol. Isso além de tonificar os músculos e fortalecer os ossos, aumentar a energia, controlar o peso, melhorar o sono e o bem-estar físico e mental.  Bastam 30 minutos, cinco vezes por semana, ou  50 minutos, três vezes por semana, com uma velocidade capaz de produzir suor e acelerar a respiração.

 

 

Atividades na água

Exercícios na água evitam impactos nas articulações

 

 

 

As atividades aquáticas, como natação e hidroginástica, são ótimas e não impactam articulações e tendões. São benéficas para o sistema respiratório e cardiovascular, aliviam o estresse e ajudam muitíssimo na recuperação de enfermidades.

 

Alongamento

 

Exercícios de alongamento são de fácil aplicação e aprendizagem e portanto são uma opção simples e eficaz na melhora da capacidade funcional e qualidade de vida de idosos. Melhoram a flexibilidade, com benefícios na funcionalidade, equilíbrio e controle de dores de origem muscular

 

 

Dança

Dançar, além de ser excelente exercício, é uma grande alegria !

 

 

A dança é ótima para a manter o condicionamento aeróbico, a força muscular e a coordenação motora, além de oferecer estados emocionais positivos, de alegria e animação.É um prazer que traz uma nova qualidade de vida, e eleva a auto estima.

 

 

Musculação

A musculação aumenta massa óssea

 

 

Sempre com orientação profissional, a musculação é muito recomendada já que estimula o aumento da força muscular e a massa óssea. Bastam dois treinos por semana, em dias não consecutivos e são inegáveis o controle de osteoporose e o alivio de dores crônicas.

 

 

 

 

 

E então? Vamos nessa? Com certeza você vai se sentir muito melhor, os profissionais garantem !!!

 

 

Fontes:

 O Estado de SP /Portal Terra

https://www.terra.com.br/noticias/ciencia/pesquisa/pessoas-em-forma-tem-33-menos-chance-de-ter-alzheimer,53202b1a51e3cdecff6e70e386b2cb80d15ij5pu.html#:~:text=Quanto%20mais%20em%20forma%20voc%C3%AA,que%20ocorre%20no%20pr%C3%B3ximo%20m%C3%AAs.

Saúde Brasil

https://saudebrasil.saude.gov.br/eu-quero-me-exercitar-mais/5-opcoes-de-atividades-fisicas-para-idosos#:~:text=Manter%2Dse%20ativo%20na%20terceira,v%C3%ADnculos%20sociais%20e%20fazer%20amizades.

(Fotos: divulgação)