@valeriabursztein

Pensar, será que sabemos pensar?

Redação e edição

Analu Oliveira – 79+

www.longevidade.com.br

Pensar positivo é um desafio constante

 

Você sabe pensar? Consegue controlar os pensamentos? Pensa positivo?

Diversas frases são incansavelmente repetidas por todo mundo, quer ver? Falei sem pensar. Quem você pensa que eu sou? Por que você não pensa antes de falar? Pense duas vezes antes de criticar. Posso te ligar? Nem pensar !

A palavra pensar, tem sua origem no latim “pensare’’ que significa suspender, pendurar, avaliar o peso (pesar).  É de “pesar” que deriva o “pesar os prós e os contras”, ponderar, examinar, que leva ao meditar, refletir.

Pensar é um processo psicológico mental, subjetivo e particular de cada um. É o pensamento que ajuda a tomada de decisões e o relacionamento com o mundo, com a sociedade e com as pessoas em nossa volta. É ele que molda o senso crítico e elabora percepções, emoções e sentimentos. Mas nos tempos atuais, com a velocidade das redes, as distrações são infinitas. Os vídeos e textos são muito fáceis de se consumir e não exigem muito o  pensar e refletir.

 

Cuidado com a velocidade das redes e o excesso de informação ! 

 

É claro que também se aprende várias coisas novas, mas em geral é tudo muito superficial, concorda? Logo após “consumir” tantas informações, quase tudo é rapidamente esquecido e substituído por outras novidades. Que loucura, né?

Mas os especialistas garantem que PENSAR também é um aprendizado.

 

“E agora? Nem sei o que pensar !!”

 

Veja como identificar algumas formas de pensamento (de passado ou de futuro):

1) Ruminação

Quando a lembrança de alguma experiência traumática do passado, insiste em voltar ao pensamento. Remoer traz mágoa, tristeza, raiva ou arrependimento, sentimentos todos dolorosos.

2) Preocupação

Quando a gente “sofre por antecipação” porque o pensamento começa a elaborar estratégias e meios para lidar com uma situação que poderá acontecer (e muitas vezes, nem acontece !!!). Além disso deixamos passar o precioso momento presente.

3) Dissonância cognitiva

É procurar justificação para alguma coisa que faz mal. Fumar, por exemplo. Faz mal, mas relaxa. E “posso parar quando quiser”.  

4) Crenças limitantes

Elas são perigosas porque reforçam situações como por exemplo: “eu não consegui terminar o meu curso, então eu acredito que eu não seja capaz de concluir um novo desafio”. 

5) Auto regras

São pensamentos para justificar um determinado fim. “Eu só vou confiar nesta pessoa quando ela contar algum segredo dela para mim”

Sobre pensamentos negativos, o mindfulness (técnica para conseguir atenção e concentração plenas) ensina: Nunca tente evitar o pensamento ansioso, não lute contra ele, procure aceitar. A aceitação trará a análise e fará com que você consiga evitá-lo”.

 Na verdade, a inteligência humana é valiosa mas precisa tanto de estímulo quanto de descanso.

 

 

Pensar é um exercício que deve ser desenvolvido como uma atividade física. Vamos treinar?

 

Fontes:

Vida Simples

https://vidasimples.co/colunistas/por-que-nao-consigo-agir-de-acordo-com-o-que-penso/

Soumamae

https://soumamae.com.br/dicas-ensinar-criancas-pensar/

Zenklub

https://zenklub.com.br/blog/palavra-de-especialista/quem-esta-no-controle-voce-ou-os-seus-pensamentos/

Sbie

https://www.sbie.com.br/blog/a-forca-do-pensamento-positivo-e-o-poder-da-acao/

(Imagens: divulgação)